Home Notícias Premiação
17/06/2024
Paranaenses se destacam na Segunda Edição do Prêmio Raymundo Magliano Filho do Instituto Norberto Bobbio
Paranaenses se destacam na Segunda Edição do Prêmio Raymundo Magliano Filho do Instituto Norberto Bobbio
O Instituto Norberto Bobbio, uma instituição sem fins lucrativos e que se dedica a ajudar pessoas e instituições a lerem o mundo e compreenderem seus complexos desafios, realizou no último dia 13 de junho na Arena B3, em São Paulo (SP), a segunda edição do Prêmio Raymundo Magliano Filho, criado em homenagem ao ex-presidente da Bolsa de Valores de São Paulo e fundador do INB. Este ano a premiação reconhece iniciativas e teses voltadas para o fortalecimento da cidadania financeira, ou seja, o exercício de direitos e deveres que permitem ao cidadão tomar decisões financeiras conscientes e bem-informadas. O prêmio é dedicado a alunos das áreas de Direito, Economia e Administração. Foram agraciados nove finalistas nos níveis pós-graduação lato sensu, além de mestrado e doutorado, nas categorias Educação Financeira, Proteção do Investidor e Eficiência Regulatória, Inovação e Inclusão Financeira.
A cerimônia contou com a presença de várias entidades e autoridades do mercado financeiro, estudantes, pesquisadores e a comissão avaliadora do prêmio. Na abertura, os representantes da B3, Felipe Paiva, Diretor de Relacionamento da B3; Marina Copola, diretora da CVM, falaram sobre a importância de aproximar a área acadêmica da iniciativa privada. O prêmio também entregou selos de reconhecimento para projetos focados nas áreas. Na área de Educação Financeira foi entregue para Datathon de Moedas Digitais; já em Proteção do Investidor e Eficiência Regulatória foi a fintech AmFi e em Inovação e Inclusão para Cofrinho.

As grandes estrelas da noite foram os pesquisadores que receberam o reconhecimento do seu trabalho. Na categoria Educação Financeira, três mulheres levaram o prêmio. Amanda Miranda Fantinatti (FGV-EESP) levou o primeiro lugar com o tema "Essays on consumer credit"; o segundo lugar ficou com a paranaense Marina Bagatin de Souza Moreira do Prado (UFPR) e terceiro para Talita da Silva Andrade (UFPE).

"Esse é o resultado da minha tese de doutorado e nessa busca conseguimos mostrar com resultados que pessoas que têm mais Educação Financeira conseguem pagar uma taxa de juros menor só por terem esse conhecimento já faz tomarem melhores decisões. Fiquei muito contente desse reconhecimento por uma pesquisa que tem o potencial de mudar a vida das pessoas que mais precisam", enfatizou a doutora Amanda Miranda Fantinatti.

Na categoria Proteção do Investidor e Eficiência Regulatória, João Paulo Atilio Godri (PUC-PR) levou o primeiro lugar; em segundo André de Souza do Nascimento (UFPR) e terceiro Renan do Nascimento Couto (UERJ).

A categoria Inovação e Inclusão encerrou a entrega de premiações e Marcus Paulus de Oliveira Rosa (UERJ) levou o primeiro lugar; em segundo Frederico Barbosa Bez Batti (UFPR) e terceiro William Marinho de Souza (FGV-EAESP).

“O Instituto busca fortalecer a sociedade civil e aprofundar a experiência democrática por meio da ampliação da participação e da consciência cidadã. Este ano decidimos nos direcionar para a área financeira, que era o foco da atuação do Raymundo Magliano Filho. Acreditamos que a premiação é uma forma de incentivar estudantes e pesquisadores a contribuir de maneira efetiva para a ampliação da cidadania financeira, seja por meio da tecnologia ou de ideias para simplificar o acesso a serviços e informações”, explica César Barreira, coordenador executivo do Instituto Norberto Bobbio.

Barreira visitou mais de 30 universidades em 6 estados do Nordeste, para divulgar a realização do prêmio. O objetivo é nacionalizar a premiação, para que não fique restrita ao estado de São Paulo e assim chegue a estudantes que normalmente não seriam alcançados.

Os premiados levaram valores em dinheiro, além da possibilidade de publicação de síntese/resumo do trabalho na Revista do INB e ampliação da divulgação dos temas além do campo acadêmico. No segundo semestre, os vencedores poderão fazer parte da Jornada da Cidadania Financeira, realizando seminários em outras universidades, divulgando seus trabalhos e ajudando a informar novos estudantes da realização do prêmio, para que se tornem futuros participantes.

Criado por Raymundo Magliano Filho em 2010, o INB está expandindo sua atuação. “Nosso objetivo é crescer cada vez mais, reconhecendo pesquisas e iniciativas em diferentes áreas ligadas à ampliação da cidadania e da consciência cidadã. Acreditamos que premiar estudantes é uma forma de incentivá-los, ajudando a crescerem e estimular novas ideias. Temos muitos projetos em desenvolvimento”, conta César Barreira, que confirma a terceira edição com novidades para 2025.

Sobre o Instituto Norberto Bobbio

Fundado em 2010 pelo ex-presidente da Bolsa de Valores de São Paulo, Raymundo Magliano Filho, o Instituto Norberto Bobbio (INB) é uma associação sem fins lucrativos que visa fortalecer a sociedade civil e aprofundar a experiência democrática no Brasil, por meio da ampliação da participação e da consciência cidadã. Além de atuar na produção de conhecimento científico, o INB promove reflexões e debates sobre os desafios da nossa sociedade, especialmente aqueles relacionados às temáticas da democracia, direitos humanos, cultura e tecnologia. Entre suas frentes de atuação estão a publicação de livros, revistas científicas e textos livres; formação complementar acadêmica, educacional e profissionalizante; curadoria de conteúdo para cursos livres, pós-graduação e treinamento interno; incentivo ao desenvolvimento de pesquisa e tecnologia no Brasil por meio da realização de premiações, eventos, seminários, palestras, entre outros.

https://inb.org.br/
Compartilhe:
Paranaenses se destacam na Segunda Edição do Prêmio Raymundo Magliano Filho do Instituto Norberto Bobbio
Paranaenses se destacam na segunda edição do prêmio raymundo magliano filho do instituto norberto bobbio
https://www.vivercuritibapr.com.br/noticia/307/paranaenses-se-destacam-na-segunda-edio-do-prmio-raymundo-magliano-filho-do-instituto-norberto-bobbio